Apoio ao Trem do Samba

O site Rodas de Samba, vem, por meio desta, através do seu editor, o jornalista Alexandre Nadai, se solidarizar ao mestre Marquinhos de Oswaldo Cruz, pela não realização da edição de 2019 do Trem do Samba.

Visando a união dos sambistas, reproduzimos aqui a nota de apoio dos parceiros da Rede Carioca de Rodas de Samba.

NOTA DE APOIO AO TREM DO SAMBA

A Rede Carioca de Rodas de Samba, vem através desta, manifestar apoio e solidariedade ao Mestre Marquinhos de Osvaldo Cruz pela Luta histórica de preservar as Matrizes do Samba e seus costumes no Projeto Trem do Samba.

Hoje, 28/11, recebemos a informação de que por falta de patrocínios não teremos o Trem do Samba esse ano no Rio de Janeiro. Uma péssima notícia que prova o descaso com as tradições culturais da cidade. Tanto o poder público quanto a iniciativa privada, escolhem não reconhecer a importância de uma cultura identitária do povo carioca.

Desfiles da Escolas de Samba, Trem do Samba, Feira das Yabás e demais eventos populares de samba deveriam ter seus incentivos previstos no orçamento público, precisamos de uma legislação que garanta o financiamento de projetos de Samba na cidade.

Há dez dias recebemos a notícia de que o BRT queria promover um encontro de Sambistas no terminal Paulo da Portela em Madureira, de onde sairiam três carros articulados até o terminal Alvorada. Sugerimos a homenagem aos baluartes e o fortalecimento do projeto Samba na Calçada, que se realiza toda sexta feira embaixo do viaduto de Madureira que passa o BRT, a poucos metros do terminal Manacea.

Gostaríamos de reafirmar que a RS está ao lado de qualquer iniciativa que promova a cultura do samba na cidade e o BRT do samba se apresentava como mais uma de muitas iniciativas possíveis para celebrar o dia Nacional do Samba. Porém hoje fomos surpreendidos com notícias de sites/jornais que vincula o BRT do Samba como uma substituição do Trem do Samba e para nós isto é inaceitável. A intenção sempre foi ser um projeto complementar, até porque não tínhamos noção de que o TREM DO SAMBA corresse o risco de não acontecer.

Desde a década de XX Paulo da Portela seguia no trem com os seus parceiros cantando samba, atravessando o subúrbio da cidade do centro a zona norte e a partir de 2 de dezembro de 1995 vem sendo realizado como Trem do Samba, inclusive com a participação de nossas rodas nas últimas edições.

É importante ressaltar que a RS não tem preço, mas sim valor! O nosso lado é onde o samba está e o samba está onde o Povo estiver!

O nosso maior compromisso é fortalecer essa tradição, portanto, sem a realização do Trem do Samba, nos retiramos da organização do BRT do Samba, mas reforçamos que a intenção do projeto nunca foi concorrer com o Trem do Samba. Na verdade, o TREM DO SAMBA é, e sempre será a nossa inspiração.

#TremDoSamba #RedeCarioca #RodasDeSamba #RioDeJaneiro