O evento idealizado por Marquinhos de Oswaldo Cruz é realizado todo 2º domingo do mês, na Praça Paulo da Portela, em Oswaldo Cruz.

A Feira das Yabás está de volta à Praça Paulo da Portela, em Oswaldo Cruz. O evento, idealizado pelo sambista, cantor e compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz, é gratuito e reúne gastronomia afrobrasileira carioca, além de muita música de graça.

A Feira, que aconteceu pela última vez em fevereiro de 2009, voltou em sua décima quarta edição, no dia 25 de março, e se repete no segundo domingo de cada mês. São 16 barracas, comandadas pelas matriarcas das famílias mais importantes e tradicionais da região de Oswaldo Cruz, que apresentam suas delícias e não deixam a culinária negra carioca cair no esquecimento.

É claro que a Velha Guarda da Portela não poderia ficar de fora: entre outras barraqueiras, Tia Surica oferece mocotó e aipim com carne-seca; Neide Santana serve feijoada de camarão, angu à baiana e feijão amigo. Dona Neném, a mais velha das tias (que completou 87 anos no dia 19 de março) prepara rabada com batata, angu e bolinho de abóbora recheado com carne-seca.

Na barraca da Jane Carla é vendido cozido de peixe e frutos do mar; a Romana vai de jabá e caldos de mocotó, feijão e ervilha; bobó de camarão é o prato da Jussara; Selma Candeia oferece abóbora com carne seca; a iguaria peixe frito, molho de camarão, pirão e arroz é responsabilidade da Tia Nira; Tia Edith apresenta macarrão com carne assada; Vera Caju mostra o seu cozido, camarão frito e caldo de abóbora; Rose coloca a deliciosa galinha com quiabo e Jane Pereira mostra o jiló frito, caldos e canjas. Rosângela Maria leva a tripa lombeira e bolinho de bacalhau pra feira, Marlene apresenta roupa velha e feijoada, os doces da Vera de Jesus e Tia Natércia e Sueli vão de vaca atolada, bolo de aipim e carne com aipim.

As rodas de samba são comandadas por Marquinhos de Oswaldo Cruz e trazem um ou mais convidados por edição. Para Marquinhos, a feira tem um significado especial: “Traz a lembrança de todo o aprendizado sobre música que tive nos quintais das mulheres de Oswaldo Cruz. No meu caso, na casa da Tia Doca e da Tia Surica, que sempre tinha comida embalada pelo samba.”

“*Iabá, Yabá ou Iyabá , cujo o termo quer dizer Mãe Rainha, é o termo dado aos orixás femininos, Yemanjá e Oxum, mas no Brasil esse termo é utilizado para definir todos os orixás femininos em geral”

SERVIÇO / FEIRA DAS YABÁS
DATA: SEGUNDO DOMINGO DE CADA MÊS
HORÁRIO: A PARTIR DAS 13H
GRATUITO