Gilda Rosa e Nézio Simões são experientes nomes conhecidos nas antigas rodas de samba da cidade, e no Trapiche Gamboa realizam rodas como as dos bons terreiros, com repertório marcado por sambas de raiz e partido alto clássicos e atuais. Sob o comando do multiinstrumentista Alaan Monteiro, eles convidam e recebem os sambistas com a roda animada e aberta aos sambistas e “pastoras” — alcunha dada às mulheres que participam cantando em voz alta os sambas mais antigos, como os de Jovelina Pérola Negra, Clementina de Jesus e D. Ivone Lara, entre outros antigos. Nesta edição, recebem como convidados a cantora Iracema Monteiro e o grupo paulistano Pegada de Gorila.

Nézio é compositor e cantor de longa data no Rio de Janeiro, que junto ao Negão da Abolição “marcou época no Trapiche” e em vários outros terreiros com a sua roda tradicional e sempre animada, como a histórica e inesquecível “Samba da Guanabara” que muitos cariocas frequentavam. Com eles, “o pagode é quente” e com o melhor do “samba sem poluição e sem agrotóxico”. O convite é pra entrar na roda com o samba nos pés e no gogó e bater forte as palmas das mãos.

Couvert artístico: R$30 (lista amiga: R$25). 18 anos. A casa abre às 19h30.