Sábado é dia de Samba da Feira, a roda de samba que ganhou o respeito de artistas como: grupo Fundo de Quintal, Noca da Portela, Belo, Reinaldo, Jorge Aragão e o sambista Diogo Nogueira. O evento tem atraído famosos em busca de boa música e revelado novidades no gênero, tornando a atração uma tradição nos Armazéns do Engenhão, localizados na parte externa do Estádio Nilton Santos, no Engenho de Dentro. Para a próxima edição, dia 6, o Samba da Feira recebe a cantora Alcione para uma participação na animada roda de samba. A entrada é gratuita e o samba começa às 16h, com o grupo “Seligaê”, banda base do evento .

Atendendo a pedidos, o Samba da Feira convida a cantora ALCIONE para participação especial no evento cantando sucessos de sua carreira, como: “Estranha loucura”, “Não deixe o samba morrer”, “Meu ébano” e a “Loba”.

Com mais de 47 anos de carreira, 42 álbuns (entre lps e cds) e 9 dvds gravados, a Marrom já ultrapassou a marca de dez milhões de discos vendidos; fez shows em mais de 30 países, e perdeu a conta de quantas vezes cruzou o Brasil de ponta a ponta com turnês prestigiadas pelo público, mídia, e lotações esgotadas.

A cantora, que arrebatou ao longo de sua trajetória mais de 350 prêmios, entre nacionais e internacionais como o Grammy Latino; honrarias, títulos e comendas, também é muito requisitada para campanhas publicitárias. Artista amada por plateias de todos os quadrantes, faixas etárias, classes sociais e intelectuais, Alcione também faz questão de utilizar as novas mídias para aproximar-se do público. Público esse composto por uma multidão de seguidores conforme revelam os números, superlativos, de suas redes sociais: mais de 666.400 mil curtidas no Facebook, 718 mil seguidores no Instagram, e mais de 97 mil no Twitter.

Samba da Feira

A roda, que começou despretensiosamente no quintal de uma casa em Piedade, agora é programa certo para famílias inteiras, das crianças aos idosos. São mais de 2 mil pessoas por sábado. Ao longo de quase dois anos, mais de 30 mil pessoas já curtiram o Samba da Feira. E todo esse sucesso sem patrocínio! Só mesmo com o suor e a criatividade de Mario Castilho, Diogo Viana, Eduardo Zebral, Marco Veiga e Rodrigo Guedes, amigos e sócios na empreitada – profissionais de diversas profissões: de administrador de empresa a servidor público e autônomo.

Além de ser a melhor opção de lazer para a galera do subúrbio – evento gratuito, com infraestrutura e segurança –, o Samba da Feira é também uma oportunidade de movimentar a economia local e dar oportunidade de trabalho e negócios para muita gente: músicos, equipes de bar, empresas de aluguel de cadeiras, banheiros químicos, entre outros.

História

O projeto teve seus primeiros passos dados por um grupo criado no aplicativo WhatsApp chamado “ Bororó Produções”. O grupo reunia-se frequentemente, na casa de um de seus integrantes para tomar uma cerveja, tocar um bom samba e se divertir. O local mais frequente para esses encontros era na rua Teresa Cavalcante, em Piedade, casa de Mario Castilho, que costumava acordar cedo, preparar uns camarões e ouvir um bom samba no quintal, enquanto acompanhava o movimento da feira que ocorre todo sábado, na rua onde mora.

Pintou, então, a ideia de comprar um barril de chopp e deixar as portas da garagem abertas para quem quisesse parar e curtir o samba. Surgia assim o Samba da Feira, que estreou no dia 14 de maio de 2016. O barril logo virou vários, tiveram de providenciar espaço para os barraqueiros e para a galera que só aumentava a cada dia de feira. Não demorou para o samba, que ia das 10h às 16h, virasse febre e atraísse público do bairro e das adjacências.

O evento cresceu, e vieram os problemas: reclamações de vizinhos por causa do barulho, reclamações dos feirantes… Foram conversar com o administrador regional da XIII R.A. e receberam a oferta de fazer a roda nos Armazéns do Engenhão, localizados na parte externa do Estádio Nilton Santos. A continuidade do projeto estava assegurada.

“No dia 3 de dezembro de 2016, migramos para nossa nova casa, mantendo nossas premissas e filosofias podendo oferecer um pouco mais de comodidade e conforto para todos. Conseguimos maximizar nosso público e alavancar nosso plantel de convidados”, comemora Castilho. E conclui: “Enquanto o samba for capaz de curar almas feridas, revigorar estruturas, reacender luzes, reencontrar caminhos e transcender prazeres, não mediremos esforços em persistir e preservar com nossos ideais”.

Serviço: Samba da Feira com o grupo Seligaê – Participação especial da cantora Alcione

Armazém do Engenhão (parte aberta)- R. José dos Reis, 189 – Engenho de Dentro, Rio de Janeiro. Data: 6 de abril- sábado. Horário: 16h. Classificação Livre. Capacidade: 2500 pessoas. Grátis. www.facebook.com/sambanafeiracombororo