Sábado é dia de Samba da Feira – a roda de samba que ganhou o respeito de artistas como: Grupo Fundo de Quinta, Noca da Portela, Belo, Reinaldo, Jorge Aragão e o sambista Diogo Nogueira. O evento tem atraído famosos em busca de boa música e revelado novidades no gênero, tornando a atração uma tradição nos Armazéns do Engenhão, localizados na parte externa do Estádio Nilton Santos, no Engenho de Dentro.

O evento gratuito semanal já reuniu mais de 12 mil pessoas por apresentação nos galpões e sempre traz grandes nomes do samba como convidados especiais. O evento começa às 17h, com o grupo “Seligaê”, anfitrião do evento.

Nesta edição, o convidado é Jorge Aragão. Com mais de quarenta anos de carreira, o cantor e compositor é um dos maiores sambistas brasileiros, reconhecido internacionalmente. Canções, como: “Eu e você sempre”, “Lucidez”, “Moleque Atrevido”, “Deus Manda”, “De Sampa a São Luiz”, “Alvará”, “Malandro”, “Vou festejar”, “Enredo do meu samba”, “Coisa de Pele”, “Terceira Pessoa”, “Amigos… Amantes”, “Do Fundo do Nosso Quintal”, entre outros, estão no repertório do show e na nossa memória afetiva.

Como surgiu o SAMBA DA FEIRA
E a proposta do SAMBA DA FEIRA é essa mesma: valorizar o samba, os sambistas e quem não é ruim da cabeça, nem doente do pé. E foi justamente uma galera boa da cabeça e do pé que começou, de brincadeira, esse que virou um dos eventos de samba mais conhecidos e mais populares do Rio de Janeiro e do Brasil.

Foi na casa de Mário Castilho, na rua Teresa Cavalcante, em Piedade, que tudo começou. Todo sábado, dia de feira na rua, ele costumava acordar cedo, preparar uns camarões, chamar os amigos e ouvir um bom samba no quintal, enquanto acompanhava o movimento da feira. Teve, então, a ideia de comprar um barril de chope e deixar as portas da garagem abertas para quem quisesse parar e curtir o samba. Surgia assim o Samba da Feira, que estreou no dia 14 de maio de 2016. O barril logo virou vários, tiveram de providenciar espaço para os barraqueiros e para a galera que só aumentava a cada sábado. Não demorou para o samba, que ia das 10h às 16h, virar febre e atrair público do bairro e das adjacências.

O evento cresceu muito, e vieram os problemas: reclamações de vizinhos por causa do barulho, reclamações dos feirantes… Mário e os amigos foram conversar com o administrador regional da XIII R.A. e receberam a oferta de fazer a roda nos Armazéns do Engenhão, localizados na parte externa do Estádio Nilton Santos. E foi lá que o SAMBA DA FEIRA passou a acontecer todo sábado, a partir do dia 3 de dezembro de 2016.

“Quando fomos para Engenhão, nossa preocupação era não perder a essência do SAMBA DA FEIRA”, explica Mário Castilho. Eles conseguiram. Nosso samba mais genuíno segue firme e forte.

Os convidados
Ainda no quintal, o SAMBA DA FEIRA já recebia artistas, mas foi nos Armazéns do Engenhão que o evento passou a convidar sambistas de peso. O primeiro foi Toninho Geraes. Para bancar o cachê, os amigos se arriscaram e correram atrás na divulgação: usaram mídias sociais, firmaram parceria com emissora de rádio, e, de lá para cá, o samba se propagou. Toninho Geraes abriu porta para Xande de Pilares, que elogiou o evento em seus stories, no Instagram, e pronto!

Serviço: SAMBA DA FEIRA CONVIDA JORGE ARAGÃO
Armazém do Engenhão – R. José dos Reis, 189 – Engenho de Dentro, Rio de Janeiro. Data: 6 de julho. Horário: 17h. Classificação Livre. Capacidade: 2500 pessoas. Grátis. www.facebook.com/sambanafeiracombororo