Ingrediente indispensável para dar molho à programação de novembro do Teatro Rival Petrobras é um bom samba, ainda mais se a marca do samba é Tempero Carioca. Com mais de uma década de existência, o grupo mistura clássicos do samba de roda e do partido alto, tendo como referências mestres como Noel Rosa, Cartola e Candeia. Formado por Agrião (pandeiro e voz), Evandro Lima (violão de 7 cordas), Marcelo Pizzott (tantan), Marquinho Basílio (surdo), Marquinho China (pandeiro e voz), Nelci Pelé (pandeiro e caixa) e Serginho Procópio (cavaco e voz), o Tempero Carioca está sempre no cardápio de outros artistas. Seus integrantes já tiveram músicas gravadas por Zeca Pagodinho, Beth Carvalho, Mart’nália e muitos outros craques com quem estiveram no Batuque da Boa, a maior roda de samba do mundo, projeto que reuniu mais de 250 músicos no Parque de Madureira em outubro de 2017. É com esse axé que o Tempero Carioca vai apresentar o CD “Se o samba me chamar” no dia 16. O chamado é para todo mundo.
 
 
Tempero Carioca – Se o Samba Me Chamar
Fruto de 10 anos de estrada, “Se o Samba Me Chamar” traz em sua maioria, sambas de composições dos integrantes do Tempero Carioca. Das doze faixas, apenas quatro são de parceiros muito próximos do grupo.
 
Com financiamento próprio, anos de estúdios e gaveta, finalmente o CD foi tirado do forno para que as apresentações dos palcos da Lapa e das casas por onde o grupo passou possam chegar a qualquer pessoa do país.
 
São sambas de roda, partido alto, dolentes, para cantar, dançar e se emocionar. Com a pitada da pegada de cada um dos músicos que se dedicou a colocá-lo na praça. Feito à pandeiro, repique, tamborim, cordas e raiz.
 
Serviço:
Show: Tempero Carioca – Se o Samba Me Chamar
Dia 16 de novembro de 2017, às 19h30.
Local: Teatro Rival Petrobras
Endereço: Rua Álvaro Alvim 33/37 – Cinelândia
Ingressos: Mesas setores A e B – R$60,00 (inteira) / R$30,00 (meia-entrada)
Lounge (100 lugares) – R$50 (inteira) / R$25 (meia-entrada).