Situado no berço do samba, na Gamboa, entre a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo da Prainha, entre o centro da cidade e o bairro da Saúde, o Trapiche Gamboa é um grande sobrado do século XIX (1857) e foi inaugurado como casa de shows em 2004. Ele se tornou um refúgio para o samba de roda (a mais autêntica forma de música brasileira) e consagrou-se como uma das maiores, mais bonitas e aprazíveis casas (de samba) da cidade. Importantes sambistas já passaram por lá e exímios músicos da nova safra do samba do Rio de Janeiro frequentemente realizam as magistrais rodas da casa.

A arquitetura de 1857 e com pé direito de 13 metros está conservada com piso original e parede de pedra revestida com óleo de baleia. Antes de abrigar a casa de samba, o sobrado era uma oficina mecânica.

Quem é do samba ou quer conhecê-lo melhor e mais de perto, seja carioca ou turista, deve visitar o Trapiche Gamboa, endereço de uma boa combinação de petiscos e de roda de samba como a dos antigos terreiros. No segundo andar, há ainda um mezanino onde é possível bater um papo com menos barulho. Já no terceiro andar, uma varanda oferece ar fresco com um barzinho à disposição. É bem aconchegante e convidativo.

Classificação da casa: durante a semana: livre | sextas e sábados: 18 anos.
Abertura da casa: segunda à quinta: 18h30 | sexta: 19h30 | sábado: 20h30.
Horários dos shows: segunda à quinta: 20h30 | sexta e sábado: 22h30.
Aceita cartões de crédito e débito.
Faz reservas de mesas (tels.: 2516 0868 / 2233 9276).
Capacidade: 250 pessoas

2 Próximos Eventos

Ordenar por

Chico Alves é um capixaba radicado no Rio de Janeiro, que vem se aprimorando como compositor e cantor de samba e se destacando cada vez mais nas rodas da cidade, por cantar um repertório animado de sambas de roda, “sambas de raiz”, de partido alto e os seus autorais. Por exemplo, comandando ou dando “canja”, nas rodas ele anima os sambistas com os seus versos de “Caninana” (Marco Pinheiro/Chico Alves), “Mau perdedor” (Fernando Brandão/Chico Alves) e “Berço de sereia” (Chico Alves/Daniel Scisinio), entre outros em parceria com Toninho Geraes, Toninho Nascimento, Ivor Lancelloti, Zorba Devagar e Marco Pinheiro, entre outros. No Trapiche, Chico lançou o seu primeiro CD solo e autoral “Pra Yayá Rodar a Saia” (produzido por músicos da cena musical niteroiense e com as participações de Carlinhos 7 Cordas, Marcio Hulk, Dirceu Leite, Dudu Oliveira, Sidão Santo e Eron Lima, por exemplo), no começo de 2017, e também fez as honras no “Dia Nacional do samba”, em 02 de dezembro. Deste então, está com a sua roda na programação da casa com frequência. Em janeiro de 2018, dia do padroeiro do Rio de Janeiro, São Sebastião, recebeu como convidado o cantor e percussionista Gabriel Azevedo (Casuarina). O “Samba […]

Quem conhece o Trapiche Gamboa sabe que uma vez por mês tem a roda com a formação Os Sete Cantos, em que juntos experientes músicos de diversas rodas e formações no Rio de Janeiro e em Niteroi tocam (percussão e harmonia) e cantam o bom repertório do samba tradicional, improvisando também no partido alto. É um projeto que estreou no casarão em setembro de 2017 e desde então é exclusivo, diferenciando-se por apresentar um repertório “bem amarrado” com o melhor do gênero, como nos antigos terreiros cariocas, na batucada forte, na harmonia e nas sete vozes de uma escalação de músicos sambistas respeitados no meio, pelo conhecimento e reverência que cultuam o samba em todos os projetos dos quais participam. Sempre é uma formação diferente em cada edição e nesta os músicos convidados são: Eduardo Gallotti Povoa (voz e cavaquinho), Marquinho China (voz e percussão), Marco Basilio (voz e percussão), Jp Silva (voz e violão), Ernani Valente (voz), Alaan Monteiro (voz e bandolim), Jorge Gomes (percussão) e o anfitrião da casa Clevison Homero (voz e percussão). Couvert artístico: R$30 (lista amiga: R$25). 18 anos. A casa abre às 20h30. Evento FB: https://www.facebook.com/events/698423477179064/.

Deixar uma Revisão

Somente usuários registrados podem adicionar uma avaliação